Artigos de Ramón Varela

A vitória de Trump

Fazendo honor ao seu nome, Trump = baça e triunfo, Trump triunfou contra todo prognóstico nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, sem que isto implique que triunfaram os Estados Unidos. Intentarei no presente artigo oferecer a minha interpretação pessoal desta vitória.

"Coligação vergonhosa

Parece que todo o que se diga do desnorteamento do PSOE é ficar curto porque trabalha com assiduidade para superar-se a si mesmo.

Debandada no PSOE, adiante Podemos, júbilo no PP

O PSOE, irreconhecível para a mãe que o pariu, começou uma deriva cara a sua própria autodestruição. Não sabemos se os seus aderentes chegarão á luta física corpo a corpo, como já lhe temos visto a este partido na cidade de Vigo, mas os ódios e as tensões são já irreconciliáveis. Nunca se vira até o momento que se chegara a tais níveis de assédio ao máximo líder duma formação política, e, surpreendentemente, precisamente por aqueles que o nomearam, e que parece que só pretendiam ter um boneco de pantalha ao que poder derrubar enquanto se considere que as conveniências particulares o aconselhassem.

A quem votar?

Ao formular a pergunta, a quem votar? pareceria que damos por suposto que devemos ir votar, mas isto é o que há que clarificar em primeiro lugar. Hoje o fastio e o nojo pela incompetência e a corrupção na política estão tão amplamente estendidas na sociedade espanhola que seguro que muitos se perguntarão se devem abster-se para que não se entenda que apóiam um sistema caduco e decrépito. A respeito desta atitude devemos dizer, em primeiro lugar que quiçá não lhes afete muito aos responsáveis deste desaguisado. Quem não têm vergonha para criar um modus operandi para apropriar-se do dinheiro das arcas públicas não se vai ruborizar porque os cidadãos acudam a votar em menor quantidade.

A ideologia de gênero como facto antinatural e bomba atómica

Os bispos andam revoltos e não cesam de lançar-nos preságios apocalípticos, esta vez contra uma lei aprovada pelo parlamento de Comunidade de Madrid sobre a sexualidade, denominada “Lei de Identidade e Expressão de Género e Igualdade Social e Não Discriminação”, LGTBfobia, da Comunidade Autônoma de Madrid.

Festejo a Carvalho Calero

A RAG decidiu dedicar o Dia das Letras Galegas 2017 ao escritor ourensão Carlos Casares Mourinho (1941-2002), uma pessoa para mim cordial, em todos as ocasiões em que tratei com ele.

Brexit: causas e sintomas

A votação do dia 23/06/2016 na Grã Bretanha foi histórica pelas conseqüências que pode produzir na UE e na economia global. Os mercados mantinham certa calma porque consideravam que não se produziria o tsunami britânico. Ante este evento, os políticos espanhóis apressaram-se a botar-lhe a culpa á direita e aos populismos, como é o caso do PSOE; ao imobilismo, populismo e nacionalismos, no caso de Rivera; á crise e á carência duma união mais estreita, como no caso do PP; á uma Europa injusta e insolidária, no caso de Podemos. Alguns políticos culpam do problema á democracia mesma, como é o caso de Pedro Sánchez, que manifestou que “isto ocorre quando se consulta á cidadania”, ocorre por trasladar-lhe á cidadania problemas que devem resolver os políticos; Rivera bota-lhe a culpa ao referendo secessionista, e Rajoy declara que isto ocorre por trasladar-lhe á gente decisões difíceis. “Somente se devem fazer em circunstâncias mui excepcionais porque para isso estamos os governantes, não para trasladar-lhe as decisões difíceis á gente".

Os mercados e o sistema extrativo

Quando ainda quem escreve lecionava nas aulas, os alunos/as perguntavam-me por vezes quê é isso dos mercados. Eu respondia-lhe que o mercado em realidade somos todos, porque quando um investe algum dinheiro já é parte da armação que se conhece com o nome de mercado. Mas que esta resposta, coincidente com a que propalam os corifeus da oligarquia, diz mui pouca cousa, porque, ainda que isso é certo, isso não indica que as pessoas participem ativamente dalgum modo, nem direta nem indiretamente na gestão desse mercado.