Artigos de Maurício Castro

Marx e a esquerda-tricórnio (espanhola)

Até a náusea assistimos a diário à “grande descoberta” que fam os dirigentes da esquerda espanhola (ou pró-espanhola), quando tentam advertir-nos sobre a natureza do nacionalismo catalám: “é burguês!”, “representa a burguesia!”, “nom garante a revoluçom socialista!”.

Seis bons motivos para nom perder o filme ‘O Jovem Marx’

Na semana passada tivem ocasiom de desfrutar, por duas vezes, o filme do realizador haitiano Raoul Peck, sobre a etapa de formaçom de Karl Marx como militante e intelectual, até a publicaçom do seu Manifesto Comunista: O jovem Marx.

A recentralizaçom que vem

A firme vontade catalá para dar passos em direçom à sua plena soberania, sempre com base na aplicaçom do inalienável direito de autodeterminaçom, espoletou umha forte reaçom do Estado espanhol para evitar a rutura que nom houvo à morte de Franco.

O velho István Mészaros e a nossa caixa de ferramentas

Amiúde falamos sobre as vantagens da nossa inserçom no espaço mundial de expressom galego-luso-brasileira, que nos permite o acesso a todo aquilo que a maior parte do nosso povo até hoje nom conheceu, ou só conheceu através do espanhol.

A Renda Básica nos seus justos termos

Nos últimos números do Novas da Galiza abordou-se um dos temas que, nom sendo novo, sim ocupa um lugar de destaque no debate social em torno das saídas para a crise iniciada em 2008 e cujas conseqüências se arrastam até hoje.

Cuba, os furacáns e o socialismo

Amiúde, vemos opinadores profissionais dos meios do sistema ridicularizar as precárias condiçons de vida em Cuba, apontando para ela como o exemplo paradigmático da inviabilidade do socialismo.

Despedida para o John, um amigo e camarada

Texto lido no dia 24 de junho de 2017 no Cemitério de Santa Icia de Trasancos, Narom, no ato civil de despedida a Joám Paz Lopes, John (1967-2017).

Trump, o Acordo de Paris e a vida no Planeta

Antes que a moral burguesa recomece a estender orbi et orbi a culpa sobre umha abstrata irresponsabilidade humana que ameaça o futuro do planeta, convém esclarecermos: 1) nem Donald Trump ao abandonar o Acordo de Paris sobre Mudança Climática, nem os restantes dirigentes mundiais ao ficarem dentro som nem representam a humanidade –unicamente umha minoria dominante e hoje dividida; 2) nem é o futuro do planeta que está em causa com a atual crise socioambiental global –só o da nossa e doutras muitas espécies que nele habitamos.