Artigos de Ramón Varela

Lições do processo catalão

Para compreender o bofetão que os unionistas lhe propinaram à reja personalidade política, socioeconômica e cultural que constitui o povo catalão, cumpre ter presente a situação política de que se parte. Na transição de 1978, da que tanto pavoneiam os seus usufrutuários, constituiu-se um estado autonômico, um produto típico espanhol, intermédio entre, por uma parte, o estado federal, pluri-soberano, que goza duma autonomia fundada na sua própria constituição que traduz a sua soberania originária, e, pola outra, o estado unitário, ou seja, com soberania única, que só dispõe, no melhor dos casos, de descentralização administrativa e não política.

O poder e os direitos humanos

O poder é a capacidade de mando, de domínio sobre os demais, a capacidade de fazer ou ser algo. Não se confunde com a autoridade, que é a capacidade de persuasão ou influência sobre os demais. Um pode ter muito poder e pouca autoridade, como o regime do general Franco, ou muita autoridade e pouco poder, como no caso de Castelao. O poder pode ser político, social, religioso...

Matança de sarracenos em Jerusalém e novamente de judeus

Já sublinhamos na entrega terceira que as cruzadas foram organizadas para conquistar os santos lugares em possessão dos muçulmanos e que, ainda que no caminho mataram a grande quantidade de judeus, quando a cruzada dos barões ocupa Jerusalém serão os muçulmanos os que levarão a pior parte.

Hipercriticismo e hipotolerância ante a crítica (IV)

A auto-identidade judia e cristã Toda sociedade e toda associação, se quer manter a sua personalidade própria frente ao exterior e não ficar diluída, precisa destacar os traços que a distinguem das demais. Isto é o que lhe permitirá preservar a sua própria coesão interna e apresentar uma mensagem nítida e diferente de todas as demais.

Hipercriticismo e hipotolerância ante a crítica (III)

Perseguição dos judeus durante a I cruzada.

Hipercriticismo e hipotolerância à crítica (II)

O anti-semitismo no cristianismo dos primeiros séculos

Hiper-criticismo e hipo-tolerância á crítica no cristianismo

Pretendemos demonstrar nesta entrega que as diversas confissões religiosas, especialmente as do livro - judaísmo, cristianismo, islamismo-, são hipercríticas e beligerantes com as demais fações da mesma confissão, com as demais religiões e com os valores da sociedade contemporânea que não coincidem com os seus, e hipo-tolerantes à crítica exercida polos demais, utilizando assim uma dobre vara de medir.

Ódio do cristianismo contra a ciência

Escutei faz pouco a um teólogo católico que afirmava que Deus joga aos dados. Surpreendeu-me ouvir esta afirmação, não por ela mesma senão por provir de alguém que, como clérigo em exercício, deve aceitar todos os dogmas da Igreja, ou polo menos justificar o seu sentido e/ou a sua interpretação.