Artigos de Maurício Castro

Na morte de David Rockefeller

Agora que nas redes sociais temos um expositor imediato das reaçons provocadas por notícias de impacto como a morte de alguns velhos chefons do capital, é curioso comprovar como elas costumam refletir visons idealistas no campo da esquerda. Cada vez mais, o plano das relaçons interpessoais substitui a análise de classe, opacando a verdadeira compreensom da realidade, que seria imprescindível para quem verdadeiramente quer transformá-la.

Galiza, reintegracionismo e senso comum histórico

Numha sucessom sem fim de polémicas sobrepostas entre defensores do espanhol, do galego e todo um espectro entre ambas as posiçons, o passar do tempo tem vindo a assentar nos últimos anos um novo senso comum em volta da questom lingüística galega, determinado sobretodo pola própria materialidade histórica do processo.

Renda Básica?

Há uns dias recebim por correio eletrónico o link para um novo vídeo de promoçom da chamada ‘Renda Básica’, de pouco mais de 5 minutos de duraçom e realizado pola Rede espanhola do mesmo nome.

Cuba, a independência e o socialismo

Numhas datas em que as redes e foros fervilham na exaltaçom da gigantesca figura de Fidel Castro, liderança excecional cubana, poderia dedicar estas linhas a expressar o orgulho que, como galego, independentista e de esquerda, sinto pola dimensom atingida por um filho da Galiza que já é património histórico das melhores virtudes da humanidade.

A era das ONGs

1. Escuito na rádio que o governo de umha importante cidade galega, em maos da esquerda institucional, desenvolve um plano para progressivamente retirar entre 30 e 35 pessoas sem-teito das ruas da zona velha, tentando a sua reintegraçom social a partir de apartamentos de aluguer pagos pola própria cámara. O programa desenvolve-se através de duas ONGs, umha das quais estimava recentemente que em Compostela haveria umhas 200 pessoas sem-teito. O financiamento público do plano será de 135 mil euros.

Esquerda e pós-modernidade: cidadania, pobreza e empreendedorismo

Pode parecer um dramatismo excessivo, mas som muitas as evidências de que vivemos tempos de dissoluçom de toda umha civilizaçom, a burguesa-capitalista. Ao longo de vários séculos, ela tivo, como todas as civilizaçons históricas anteriores, a sua época de surgimento e de apogeu, vivendo na atualidade umha lenta, mas inexorável decadência que atravessa de maneira cada vez mais visível todos os poros da sua existência social.

Vânia, Virgínia e Leda: Três marxistas brasileiras

Já noutras ocasions tenho escrito neste mesmo espaço algumha resenha dedicada a autores marxistas situados na nossa área lingüística internacional, com um duplo objetivo: recomendar a sua obra polo interesse real dela e, também, lembrar a necessidade de quebrarmos o espaço simbólico que tanto nos fai depender de referentes espanhóis ou do mundo hispano. Incluída aí a maior parte da suposta elite inteletual galega, tantas vezes incapaz de retirar a vista da última moda madrilena.

14 expressons que (nom) só existem em galego

Ao cuidado de Xesús Alonso Montero